Os Pilares da Criação

Os pilares da criação

Os ritos de passagem na civilização sempre marcaram momentos significativos. Rituais ligados ao nascimento, à morte, casamentos, fases da natureza, do tempo.

Em maior ou menor escala, todos nos encontramos entre o cansaço do fim de mais um ano demandante e o entusiasmo pelo início de um novo ciclo. Partícipes de uma cultura acelerada e intensa, oscilamos entre o  esgotamento dos nossos recursos e a renovação de forças para seguir adiante.

Perante o mundo atual, mesmo antes da pandemia, vivenciamos certa desilusão com o passado e uma enorme falta de confiança no futuro. No vai e vem do que já foi e o que ainda está por vir, o presente se encontra asfixiado. Tal qual o mundo presencial. E a presença de espírito.

Para o filósofo Byung-Chul Han, a sociedade contemporânea vive um excesso de estímulos, informações e produtividade. A premência por desempenho é a principal razão para a ocorrência de doenças como ansiedade, depressão, transtornos de personalidade e burnout.

Tamanha pressão tem conduzido seres humanos à exaustão, e ao que ele denomina “infarto da alma”.

Segundo os autores do livro “Esperança Ativa”, de Joanna Macy e Chris Johnstone, para interromper o atual desmantelamento dos nossos sistemas biológico, psicológico, ecológico e social, precisamos ativar nosso senso de propósito e de conexão com a teia da vida e uns com os outros.  É necessário irmos na direção de uma civilização que sustente a existência e que seja compatível com processos de regeneração.

Na clínica terapêutica, acompanhamos indivíduos em busca de um caminho que supere a insegurança, o medo de não serem capazes de se transformarem na melhor versão de si mesmos.

A foto que ilustra este post, é um convite para que elevemos nosso olhar ao alto e lá busquemos inspiração para encontrar o genuíno rumo do destino humano. É a imagem de uma nebulosa do espaço sideral, de onde germinam novas estrelas.

Eliane Utescher  

Psicóloga   /  Terapeuta Biográfica

21/01/2022

Published in: on 10/02/2022 at 7:30 p02  Deixe um comentário  

O Poder da Consciência

Vitória da Samotrácia

Conectar-se consigo mesmo, à mais íntima, profunda e essencial substância da própria Identidade, ativa a dimensão espiritual da vida.

No atual estágio de desenvolvimento da nossa consciência, ainda precisamos de muitos recursos para criar e sustentar um estado mais desperto e genuinamente humano. Oscilamos entre as instâncias mais primitivas do ego e as mais refinadas do Self.

O “pós pandemia”ainda é muito recente e será preciso um tempo para avaliarmos com precisão os efeitos dessa crise para a evolução da consciência sobre nós mesmos, sobre o outro, sobre a Terra.            

Todavia, experimentamos, em menor ou maior escala, uma espécie de torpor que distorce a percepção para o que somos, o que éramos e o que poderemos vir a ser. Passamos a fase aguda do trauma, mas ainda apresentamos reações e transtornos da síndrome pós-traumática.

Grandes humanistas, na Ciência, na Arte e na Filosofia, representam um providencial farol que pode iluminar nosso caminho.

Para o psicólogo croata Mihaly Csikszentmihalyi, autor da teoria do flow (fluxo), o significado da vida para uma pessoa, é qualquer coisa que seja significante para ela. Neste estado anímico, ela se sente totalmente presente, envolvida com prazer e foco no que está realizando e com a sensação de ser parte de uma entidade maior.

Na atual Conferência da ONU sobre mudanças climáticas, a Cop 26, assistimos ao empenho por acordos que visam reverter os danos ambientais que a civilização causou ao planeta. A Terra é um organismo vivo e assim como nós, em processo, nada está finalizado ainda ou fadado a colapsar, mas urge uma tomada de consciência coletiva.

No alto de uma escadaria, no museu do Louvre, encontra-se em destaque uma magnífica escultura, obra-prima que captura a atenção por sua beleza e carisma. Construída em uma época de transição entre civilizações, ela é o corpo de uma mulher alada, cheia de ímpeto.          

Para que hoje possamos todos admirá-la, fez-se necessário que o arqueólogo que a encontrou em pedaços, em um santuário na Samotrácia, empreendesse diligentemente a sua reconstrução.

Precisamos ancorar nossa consciência plena na restauração da vida.            

Eliane Utescher

Psicóloga  /  Terapeuta Biográfica

05/11/2021

Published in: on 10/02/2022 at 7:30 p02  Deixe um comentário  

Em busca da Regeneração

A Primavera . Sandro Botticelli

´´É parte da cura o desejo de ser curado” Sêneca

A primavera tem início oficialmente daqui a um mês, mas já nesta época começamos a ouvir o trinado dos sabiás no meio da madrugada. O chamado para um novo período se anuncia e nos lembra que, toda a natureza e os seres vivos, vivem através de ciclos.

Após um ano e meio de convivência com uma realidade adversa como a pandemia, nos tornamos um manancial de experiências múltiplas. Humanos que somos, algumas delas são iguais e comuns a todos; outras, muito específicas e pessoais. Externas e internas realidades.

A clínica em Psicologia evidenciou determinados fenômenos. Alguns pacientes muito confinados, apresentaram dificuldades em acessar a vontade própria. A imobilidade interferiu no sistema metabólico motor. Com a drástica mudança da rotina, as pessoas ficaram com a sensação de perda de controle.

Na esfera do pensar, houve sintomas relacionados à diminuição de habilidades cognitivas, e uma exaustão mental devido ao esforço do trabalho on-line.

Sentimentos de angústia, ansiedade, medo, irritabilidade, ressoaram no peito da grande maioria que veio em busca de ajuda.

A despeito do advento da Covid 19, que precipitou e intensificou mudanças no corpo e na alma humana, o cuidar, na abordagem antroposófica, pressupõe que o processo de cura se dá quando incluímos a dimensão espiritual da vida.

É com ela que contamos, com quem nos relacionamos, a quem nos dirigimos, para acionar no paciente a conexão com seu próprio Ser.

Nessa parceria seguimos na busca da harmonização do corpo, dos ritmos naturais das forças vitais, da recuperação do equilíbrio emocional e da Identidade.

A magnífica pintura, A Primavera, de Sandro Botticelli, foi encomendada para sanar o estado de melancolia em que se encontrava um povo.

Que ela seja uma inspiração para alavancarmos o caminho da regeneração.                                                                                                                                                     

Eliane Utescher

Psicoterapeuta / Terapeuta Biográfica     

27/08/2021