Cartografria da Consciência

 

O Tantra é uma filosofia da libertação para a liberação da kundalini, a vida em abundância como falava Cristo.O livro do corpo é o primeiro que temos que abrir na vida, é preciso aprender essa linguagem.O segundo é o livro da natureza, precisamos conhecer as leis que a regem.O terceiro livro que abrimos é o livro do “instante”, o que está acontecendo agora na vida.

Estamos ancorados no pacote da memória e existem 3 máximas que deveriam ser observadas : 1) Nunca reclame daquilo que você permite ;   2) Você se torna melhor naquilo que treina mais ; 3) Ligue os pontos .Em 2008 conheci o 8º chakra com um mestre na Índia, o nome deste centro de energia é “chama” cujo significado é calma. Este encontro me despertou para a pergunta matriz, que é aquela que pode nos mover na direção do plano do Universo : “ O que quer acontecer agora ? ”. Temos que entender sobre as frequências de onda e como funcionamos.

A Cartografia da Consciência tem 4 níveis pessoais, que tem a ver com os paradigmas e como pensamos o mundo, e tem 5 níveis transpessoais, que são os patamares de consciência que alcançamos. Nós podemos alterar alguns aspectos. Como você está neste momento ? Quais são os seus desafios e propósitos no campo da realidade ? Qual sua relação com prosperidade, prazer e poder ?

O mapa indiano, o eneagrama, as leis herméticas podem ser utilizados para conhecer aspectos do grande campo da transpessoalidade. Quando trabalhamos todos esses aspectos podemos observar como a vida pode se modificar.

A fonte de todas as nossas doenças é o estresse, que é gerado pelo medo. Nelson Mandela falou que o nosso maior medo é abraçar a nossa grandeza.

Já abordei o tema sobre como somos regidos pelo campo da escassez (Visões de Mundo) e como não fomos treinados para a abundância. Somos prósperos quando temos raízes e isso tem conexão com o primeiro chakra. O que precisamos aprender nessa dicotomia ? Temos a ideia da falta como um fato básico. Não há condições de a vida acontecer sem tempo, mas estamos com um modelo mental tão escasso que não percebemos que o tempo é abundante. O que você quer que esteja no seu tempo ?

A vida não exige de nós nenhum comportamento específico, não é uma questão de mérito. A vida nunca desiste de nós, ela acredita sempre no potencial de cada um encontrar-se nela. O campo é abundante para estar sempre provido, mas como temos o paradigma da escassez, estamos sempre focando no que nem é vida.

Pensamos diferente dos orientais. A qualidade de vida – bem estar, poder, sensação de sentido – é do campo do Carma. Para os orientais existe a lei de causa e efeito, mas os ocidentais têm o pensamento mágico de que não vivem num campo de conseqüências. Para o ocidental a responsabilidade da vida é externa – da sociedade, do outro, do governo.

Sempre fazemos um recorte da realidade de acordo como a vemos. A realidade é o que acontece, e como lido com isso, é o meu papel na relação com a realidade. Tudo que acontece é por si mesmo, não é algo que nós temos que decidir.

A primeira lei da natureza é que tudo é impermanente. Estamos muito focados nos aspectos materiais da realidade, mas, de fato, os aspectos imateriais é que fazem a diferença.

Do ponto de vista vibracional, felicidade é bem fácil de ser alcançada.O estado de alegria é um estado natural, mas fomos colocados numa fôrma na sociedade e perdemos isso. Os mestres acham graça em tudo. A vida sempre nos convida à evolução e quando não temos problemas, evoluímos muito pouco. Precisamos abraçar campos de desafio.Estudar, viajar para lugares diferentes, entrar em contato com coisas e pessoas de outras culturas, são desafios.

Viemos para a Terra para aprender a sermos terráqueos, e não conseguimos aterrar! Quanto mais perto da Terra, mais pragmáticos somos, e quanto mais pragmáticos, mais aptos nos tornamos para encontrar a solução. Cada um de nós traz a fórmula especifica da capacidade de consciência, a resposta está dentro dela.

O foco do primeiro chakra é resultado. Enquanto a pessoa não se dá conta que não sabe, a situação não flui. Para este primeiro nível de consciência é preciso que tenhamos clareza para saber o diagnóstico : da raiz da palavra em grego, conhecimento (gnose) do sagrado (dia). Vida não é esforço, é estratégia e fluxo. O esforço é a base da escassez.A prosperidade é algo que exige de nós uma certa clareza. Espiritual e material não são coisas separadas, tudo é freqüência de onda, tudo é espiritual.

O chakra umbilical, o segundo nível da consciência, traz a dicotomia entre o dever e o prazer. Somos sistematicamente treinados para o campo do dever e isso traz um desequilíbrio para este chakra. Culturalmente não tivemos treino para o prazer.         “Como você se diverte ?” é a pergunta para esse nível. Assim, a alegria é um campo difícil de ser alcançado. O prazer de estar, de vestir, do paladar, da audição, da visão. Devemos nos abrir para a arte e a beleza. O prazer depende de nós e precisamos nos alinhar com aquilo que aumenta nosso bem estar, que nos deixa mais felizes. Quantas vezes nos culpamos por estarmos bem ? A raiz da palavra proteção é “colocar-se no melhor lugar”. A natureza nunca promove desperdício. Ninguém transforma ninguém e ninguém se transforma sozinho. A transformação se dá no encontro. Você tem o poder de desenhar a sua vida.

O terceiro chakra, plexo solar, tem muito a ver com a forma como digiro as coisas. A palavra chave é poder e a dicotomia neste nível é entre a intuição e o instinto. O instinto não é o melhor regulador da consciência ;  medo, carência e raiva estão nesse campo. Um corpo dominado pelo medo e pelo controle sente muita dor. O medo é necessário para a vida mas não pode gerenciar a consciência. Os instintos não podem ser gerenciadores emocionais, eles estão ligados ao corpo físico.

Consciência e apego estão associados. A raiva é fundamental para superar obstáculos físicos, mas quando se torna campo consciencial vira reatividade e sequestra a nossa vontade. A pergunta neste nível é: “ Quais são as minhas atitudes ? ”. Na intuição o controle se transforma em confiança – fé em si, na vida, senso de entrega. A roda dos ventos da Cartografia da Consciência são quatro (4) :

  • Você é livre
  • Abundância para fluir
  • Criatividade é o oposto de reatividade
  • O amor é a grande energia geradora do Universo

Precisamos vibrar mais elementos amorosos em nós, porque a criatividade é gerada aí. É importante perceber a vibração amorosa no campo da consciência. Não somos treinados para amar nem para receber amor. Temos que sair do medo, da carência e da raiva e caminhar na direção da fé, da abundância e do amor. Migrar do instintivo para o intuitivo é a direção da liberdade.

Todas as coisas que sabemos foram aprendidas, e todas as coisas que não sabemos podem ser aprendidas. Se eu quero o novo tenho que transpor o campo do conhecido para o desconhecido. Se você tem um propósito ou um sonho, é porque você já tem a capacidade de realizá-lo, isso já é do campo da consciência.

No quarto chakra temos duas vibrações : amorosidade e cura. Esse é o último nível pessoal. Ninguém e cura e ninguém te ensina, os indivíduos ao redor são facilitadores, é você quem se cura e quem aprende. O campo amoroso é criativo. Precisamos adotar tecnologias para cuidar de nós e nos ensinar o caminho da cura.

É possível ser longevo e ter qualidade de vida. A pergunta nesse nível é :“ Como eu sinto a vida ?” . Quando me dou conta disso começo a utilizar os recursos ao meu redor. O caminho de cada um é único. Este nível tem a ver com pulmão e coração, alegrias e tristezas. Esse é o primeiro nível sem dicotomia, pois nos aproximamos do nível transpessoal.

Segundo Joseph Campbell, na jornada do herói os inimigos internos são sempre mais fortes, portanto precisamos vencer o inimigo interno, amar esse inimigo. Quando foi que você começou a deixar de apreciar a pessoa que você é? Quando foi que perdemos a emanação essencial que é amar a nós mesmos e a buscar ser uma pessoa que não somos? Quando nos afastamos da nossa beleza essencial? Somos uma coisa magnífica, precisamos reconhecer o ser raro que somos e não temos que ser igual a ninguém. Somos uma improbabilidade matemática, somos um milagre. O resgate essencial é amar a si como se é.

 

Dulce Magalhães (in memorian)

Aula proferia em 03/02/2017 no Curso de  Pós Graduação em Psicologia Transpessoal  Alubrat

Obs : os acima mencionados 5 níveis transpessoais da Cartografia da Consciência não puderam ser expostos na aula do dia seguinte por motivo de falecimento

Published in: on 01/03/2017 at 7:30 p03  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://elianeutescher.com/2017/03/01/cartografria-da-consciencia/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: